Brasil recebe indicador para medir seu patrimônio natural

Categories Soluções Ambientais
Brasil recebe indicador para medir seu patrimônio natural

O PIV (Produto Interno Verde) é o sistema que levará em consideração recursos naturais como fontes de energia, florestas e águas para mensurar todo o patrimônio natural em território brasileiro.

No dia 18 de outubro, o presidente Michel Temer sancionou um projeto de lei aprovado no Congresso Nacional, que tornou lei o cálculo do PIV.
Roberto Olinto, presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), afirma que o PIV fará parte de um grande sistema macroeconômico de contas do país. Para consegui-lo, será preciso uma descrição detalhada dos recursos naturais como florestas, águas e fontes de energia, para assim tornar viável a mensuração do impacto das atividades produtivas e do crescimento econômico do Brasil sobre esse patrimônio ecológico. Baseando-se nos dados colhidos serão traçadas estratégias de desenvolvimento sustentável.

Para que o levantamento das riquezas naturais seja desenvolvido, será preciso de uma parceria entre o IBGE e os órgãos de cada setor, como a Agência Nacional de Águas (ANA), o Serviço Florestal Brasileiro e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), entre outros, segundo Olinto.
"O PIV vai refletir a economia, o que é gerado no ano, porém, considerando o quanto se consumiu não só de máquinas e de equipamentos, mas o quanto se consumiu de recursos naturais, o que é uma informação-chave para o planejamento", informou.

Olinto ainda afirma que hoje não se conhecem bem os impactos ambientais no país. "Esse sistema é para prover o país de uma descrição bastante extensa dos recursos naturais, de que maneira eles são afetados pelo desenvolvimento econômico, ou seja, permitindo uma visão melhor do desenvolvimento sustentável."

A Lei 13.493, que originou o PIV, define que o cálculo do índice seja formatado em grande discussão com a sociedade e órgãos públicos. Também prevê que seja dimensionado pelo IBGE e divulgado anualmente, se possível. Por envolver aspectos tão amplos e complexos, ainda não é possível definir uma data de início para a divulgação do PIV, conclui Olinto.